um novo conceito em galeria de arte

Aqueles que já tiveram a oportunidade de visitar a praça São Sebastião, e passear pelos arredores do Teatro Amazonas, com certeza se depararam com a icônica Banca do Largo de estrutura charmosa e arabescos elegantes.

Em suas prateleiras, tesouros em formas de conhecimento específico sobre a região norte do Brasil, com mais de 2.000 publicações - regionais, nacionais e internacionais, livros de diversos estilos: histórico, geográfico, político, bibliográfico, econômico, artístico e literário. Todos, como o tema apaixonante que é a Amazônia

 Anna Lôyde, sócia proprietária da Manart, conferindo os livros da banca do largo.
(Anna Lôyde, sócia proprietária da Manart, conferindo livros da banca do Largo. Foto Manart)

Além do grande arsenal de livros que atraem estudiosos do mundo inteiro, também é um espaço que incentiva encontros de saberes, promovendo eventos culturais como lançamento de livros, palestras e shows musicais ao ar livre, em meio a um cenário cinematográfico da praça do Largo de São Sebastião, quase sempre aos fins da tarde.

O conceito da banca se deve a anos dedicação do livreiro Joaquim Melo. Ele conhece cada publicação que vende e, muitas vezes, até seus próprios autores. Joaquim, desde muito novo, se tornou um hábil apreciador de livros. A Banca do Largo é a realização de um grande sonho!

 Joaquim Melo, historiador, livreiro e proprietário da Banca do Largo, especializada em livros sobre Amazônia, na cidade de Manaus. Foto: Manart
(Joaquim Melo, historiador, livreiro e proprietário da Banca do Largo, especializada em livros sobre Amazônia, na cidade de Manaus. Foto: Manart)

A história de um livreiro: Joaquim Melo

Desde criança, Joaquim Melo, o proprietário da Banca do Largo, já era considerado um ótimo aluno na escola, consequência, em grande parte, do seu instintivo interesse pelos livros. 

Nasceu em 1958, no interior do Amazonas, na cidade de Tefé, onde aprendeu a ler. Aos 11 anos, veio para Manaus com sua família, e seu interesse pelos livros lhe levou a participar de grupos de leitura composta por estudantes que se reuniam para comentar livros que haviam lido. 

Joaquim, então, se tornou um jovem promissor nos estudos e nos concursos, sendo aprovado em cursos técnicos e diversos vestibulares, até se identificar com o curso de ciências econômicas, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde se formou em 1994. Em Manaus, foi concursado para trabalhar no INPA (1979) e no Banco do Brasil (1985), onde foi transferido para Fortaleza e depois para Rio Grande do Norte (1990).

Quando retornou a cidade de Manaus, no ano de 1999, fez o que, para ele, se tornou uma abertura de caminhos: a especialização em História e Historiografia da Amazônia na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Este curso o levou para o mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia, concluído em 2007. Foi aí que Joaquim se encontrou e até hoje se dedica às histórias escritas sobre a Amazônia.

 Joaquim Melo, conferindo os produtos da Manart inspirados em artes visuais da cidade de Manaus
(Joaquim Melo, conferindo alguns produtos da Manart inspirados em obras de artistas visuais da cidade de Manaus. Foto: Manart)

Mas, nem sempre a Banca do Largo foi assim

Acostumado a visitar frequentemente bancas e livrarias por onde fosse, em Manaus, a banca de revistas do Largo São Sebastião era a sua preferida. Porém, lá ainda não era banca de livros, apenas uma banca comum, que vendia jornais e revistas de assuntos variados. 

Em um dado momento, em uma de suas viagens a Manaus, visitou a banca mais uma vez, e descobriu que o dono da banca havia falecido. Foi aí que Joaquim viu a oportunidade de realizar um sonho: ser dono da banca

Na passagem de 2006 para 2008, Joaquim foi dando espaço aos livros, que com o tempo, foram sendo específicos sobre a Amazônia. E por sua dedicação e conhecimento, passou a conhecer escritores, jornalistas, artistas, entre outros, que foram fortalecendo a ideia da banca de livros da forma que conhecemos hoje, um local de encontros e falas potentes em defesa da Amazônia.

Banca do Largo São Sebastião, cidade de Manaus - Amazonas
(Banca do Largo, localizada ao lado do Teatro Amazonas na cidade de Manaus - Amazonas. Foto: Manart) 

 

Banca do Largo também tem MANART

Temos uma GRANDE novidade na Manart!

Agora, nossos produtos estão disponíveis, também, em um dos points mais famosos da cidade, a Banca do Largo!

Uma mistura de orgulho e gratidão a esta banca que tanto acolhe as produções locais e iniciativas culturais, como as de nossa galeria, que tem a missão de valorizar a arte produzida na Amazônia. 

Atualmente estão disponíveis Cadernetas e Máscaras de proteção com nossas estampas. Confere lá! 

 Seu Joaquim com produtos Manart

(O historiador e livreiro Joaquim Melo, expondo a caderneta da Manart com a estampa do artista Otoni Mesquita, na Banca do Largo em Manaus - Amazonas. Foto: Manart)

 _____

E não esqueça que a Manart também chega onde você estiver!

Enviamos para toda Manaus e para todo Brasil!

Cadernetas – Manart (manartgaleria.com) 

Máscaras – Manart (manartgaleria.com)

Camisetas – Manart (manartgaleria.com)

Acessórios – Manart (manartgaleria.com)

 

(Escrito por Hadna Abreu, 2022)
Anterior

0 comentários

Deixe um comentário

Visto Recentemente

Disponibilidade