um novo conceito em galeria de arte

No momento em que vivemos, a internet se tornou a maior ferramenta do dia a dia para a humanidade. E para muitos de nós, foi o melhor meio encontrado para sobreviver a estes tempos instáveis. As conexões virtuais misturam-se ao plano físico das relações familiares, amizade, trabalho, conhecimento e entretenimento. Muitas das vezes são os portais que direcionam o primeiro contato com coisas do nosso interesse - pessoas, empresas, projetos e oportunidades que, a partir de aparelhos conectados, imergimos nas mais diversas formas de ver e viver neste mundo ainda pandêmico.

Hoje, a arte não considera distâncias territoriais como uma grande problemática, pelo contrário, a troca de experiências se tornou ainda mais acessível e descentralizada através das plataformas digitais, como E-mail, Sites, WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter, Tiktok, Meet, Zoom e o recente mundo dos NFTs, Cripto Art e Metaverso.

As oportunidades de comunicação se estreitaram e as manifestações do fazer artístico acompanham este processo sofrendo mutações diariamente, onde o artista constrói sua personalidade frente ao digital. Assim, também, surgem técnicas artísticas digitais, onde o artista não mais se preocupa com o esgotamento de seus materiais, como vemos nos brushes (pincéis digitais) do Photoshop e Procreate. E, mesmo aqueles que praticam técnicas manuais, não deixam de interagir com diversos sistemas virtuais que ampliam os horizontes, apresentando obras, pensamentos e processos criativos sem precisar necessariamente de um local físico, um público presencial ou publicações em catálogos e revistas impressas.

 

 (Imagem: Colagem digital da artista visual Rakel Caminha - Ritual de Dança Diurno, 2021)

 

Outra observação relevante, é pensar no retorno imediato que esse artista tem ao se expor nestas redes, o feedback praticamente instantâneo de seu público internauta. Desta forma o artista tem modos democráticos, antes inimagináveis, de se conectar com o público, artistas, curadores, galerias e colecionadores do mundo inteiro. Assim, também, estes processos tecnológicos se estendem aos espaços culturais virtuais, agentes formadores de redes de contato, mercado da arte, eventos e propostas educacionais. Estas plataformas criam verdadeiros ecossistemas linkando informações à pessoas, ambientes criados para proporcionar experiências virtuais ou híbridas, entre o físico e o virtual.

Pensando nesses formatos expositivos, a Manart Galeria de Arte, que nasceu a partir do digital em meio à pandemia, selecionou 5 espaços virtuais para você explorar, acompanhar e ficar atualizado sobre o movimento artístico na Região Norte do Brasil. 

Confira a lista da Manart dos 5 Espaços Virtuais que fortalecem o Cenário Artístico na Amazônia:

1- Uma Concertação pela Amazônia: 

Site que traz pesquisas aprofundadas e atuais sobre o território da Amazônia e, de forma sensível, apresenta artistas que estejam envolvidos fortemente com esta causa necessária e urgente, a defesa da floresta. Artistas como Denilson Baniwa, Raiz, Rui Machado, Kambô, Rakel Caminha e Chermie Ferreira, são alguns dos nomes em destaque sobre a identidade amazônica em forma de arte. Com certeza, encontra-se uma fonte enorme e inesgotável de conhecimento dentro deste ecossistema virtual que está sendo formado por muitos agentes - mais de 400 lideranças engajadas na democratização do conhecimento, conservação e desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Site: https://concertacaoamazonia.com.br/

2 - LABVERDE:

Plataforma cujo objetivo é trabalhar o pensamento crítico e poético na natureza unindo artistas, cientistas e pesquisadores. O site faz parte de um programa que proporciona imersões, vivências e conexões artísticas dentro da Floresta Amazônica. Mais de 100 artistas do mundo inteiro já participaram desta grande experiência. Valendo muito conhecer os projetos artísticos desenvolvidos através desta iniciativa multicultural na Amazônia.  

Site: LABVERDE - Art Immersion Program In The Amazon

3 - Casarão de Ideias:

Casarão de Ideias é um icônico refúgio cultural situado bem no centro histórico da cidade de Manaus, e sua plataforma digital traz para o público internauta a extensão de seu espaço físico, onde é possível acompanhar eventos culturais, visitar exposições de arte em 360 graus, apresentações teatrais, dança e cinema com filmes selecionados. Um espaço virtual que move a cidade para o mundo e o mundo para a cidade. 

Site: Casarão de Ideias (casaraodeideias.com.br)

4 - HACKER URBANO Galeria Virtual:

Galeria Virtual cujo objetivo é apresentar artistas que pensam a cidade como obra e suporte a partir dos registros imagéticos sobre o município de Manaus. A galeria apresenta a visão criativa e crítica de 11 artistas manauaras que residem e relacionam-se em suas zonas periféricas. Um espaço virtual que nos faz perceber a urbanização sendo construída e desconstruída através do olhar de quem passa, vive e pensa através de seus contextos.  

Site: hackerurbanoprojeto.com

5 -  GAU Galeria de Artes da Ufam: 

Galeria Virtual, extensão do espaço físico universitário federal do Amazonas, a UFAM. Criado com intenção de aproximar o público dos processos artísticos vivenciados na Amazônia, a galeria propõe diálogos democráticos através de exposições virtuais.

Conhecer este espaço nos faz notar o evolutivo universo artístico que renasce em solo amazônico. 

Site: Galeria de Arte da UFAM (google.com)

>>> 

Confira também o espaço dos artistas da MANART GALERIA. Clique aqui 

 (Texto: Hadna Abreu)
Anterior Próximo

0 comentários

Deixe um comentário

Visto Recentemente

Disponibilidade